Por trás do comércio de peles: saiba mais sobre a exploração de chinchilas


 

 

Para celebrar a excelente notícia de que uma fazenda de criação de chinchilas da Suécia acaba de ser fechada, a PETA publicou uma matéria especial trazendo algumas notícias atuais e informações sobre esses animais – e sobre o quanto eles sofrem em mãos humanas no terrível comércio global de peles.
Foto: PETA

Foto: PETA

1. O grupo ativista de direitos animais sueco Djurrättsalliansen resgatou 243 chinchilas que sobreviveram em uma fazenda de Enköping, na Suécia, que foi fechada após supostas violações de leis de bem estar animal.

Foto: PETA

Foto: PETA

2. O grupo está agora trabalhando junto às autoridades, pressionando para que haja punição ao proprietário da fazenda.

Foto: PETA

Foto: PETA

3. Houve um progresso. Em 2000, havia 25 fazendas de criação de chinchila para produção de peles na Suécia – agora, há nove, graças a campanhas incansáveis do Djurrättsalliansen e de outros grupos.

Foto: PETA

Foto: PETA

4. Mas estima-se que ainda haja 80 mil chinchilas sendo criadas em fazendas para serem mortas pela indústria de peles por toda a Europa – e o número é muito maior se considerado globalmente.

Foto: PETA

Foto: PETA

5. Chinchilas são originárias dos Andes na América do Sul, onde a sua pele grossa favorece a sua sobrevivência em frias temperaturas de montanha.

Foto: PETA

Foto: PETA

6. Infelizmente, é a ambição humana por suas peles que levam ao fato de milhões delas serem mortas por ano, para a produção de casacos, cachecóis e mantas.

Foto: PETA

Foto: PETA

7. Na natureza, as chinchilas passaram a ser consideradas criticamente ameaçadas de extinção, como resultado da caça e armadilhas por suas peles.

Foto: PETA

Foto: PETA

8. Chinchilas são animais quietos e tímidos, e vivem naturalmente de 10 a 20 anos.

Foto: PETA

Foto: PETA

9. Nas fazendas, elas são mortas geralmente aos 8 meses de idade – e sempre de maneiras horríveis e cruéis.

Foto: PETA

Foto: PETA

10. Uma investigação da PETA dos Estados Unidos documentou um fazendeiro quebrando pescoços de chinchilas com as mãos enquanto elas gritavam aterrorizadas. Na Europa, elas são frequentemente eletrocutadas antes de serem esfoladas.

Foto: PETA

Foto: PETA

11. Mais de 200 chinchilas são mortas para que seja produzido apenas um casaco de peles.

Foto: PETA

Foto: PETA

12. Chinchilas são altamente sociáveis, e vivem em colônias com mais de 100 indivíduos na natureza.

Foto: PETA

Foto: PETA

13. Nas fazendas de criação para extração de peles, elas são mantidas em minúsculas gaiolas individuais, empilhadas umas sobre as outras, e nunca conseguem interagir com outros membros da sua espécie.

Foto: PETA

Foto: PETA

14. Seu comportamento natural incluiu tomar banhos de terra, explorar rochas e fendas, brincar e saltar a quase dois metros de altura.

Foto: PETA

Foto: PETA

15. Em gaiolas estéreis de fazendas, as chinchilas não podem fazer nenhuma dessas coisas.

Foto: PETA

Foto: PETA

16. Com seus imensos olhos escuros e grandes orelhas, as chinchilas são adoráveis.

"Vivendo na RSPCA" - Foto: Daniel Hall BY-SA 2.0

“Vivendo na RSPCA” – Foto: Daniel Hall BY-SA 2.0

17. Elas também são notáveis por serem bondosas umas com as outras. Por exemplo, se uma chinchila mãe tem problemas para produzir leite para alimentar os seus bebês, outra fêmea frequentemente se oferece para ajudar; quanto aos machos, por sua vez, é comum auxiliarem atuando como babás para olhar os filhotes.

“Chinchila 01 do Wildpark Klosterwald” / cherubino - CC BY-SA 3.0

Foto: Divulgação

18. Espera-se que um dia os humanos aprendam a ser bondosos para com as chinchilas, também, e parem de matá-las para fazer horrendas peças de vestuário.

Foto: PETA

Foto: PETA

19. Seja parte da solução, comprometendo-se a nunca usar peles e manifestando-se contra as empresas que ainda as vendem. E por favor, assine esta petição .

Foto: PETA
 


 
LINK - ESPALHE POR AÍ!
 

 



Email: contato@arpabrasil.com.br
WEBMAIL
Criação Element Web